Era uma vez... o PLINSP!



A leitura é um processo abrangente e complexo no qual o leitor desenvolve o hábito ao longo do tempo e, principalmente, através do incentivo dos familiares e da escola. No Instituto Nossa Senhora da Piedade, os estudantes começam a praticar a leitura ainda no maternalzinho, com livros acolchoados e voltados para sua faixa etária e esse hábito se extende até o Ensino Médio, onde a exigência da capacidade leitora e de interpretação requer certa experiência.


Esse processo de desenvolvimento compõe o PLINSP, o Projeto de Leitura do INSP e faz parte do programa "A Grande Conquista", que norteia o fazer pedagógico continuado da Educação Infantil ao Ensino Médio. Em março, os estudantes do INSP Kids e do INSP Júnior, a Educação Infantil e os Anos Iniciais do Ensino Fundamental, participaram dos eventos de lançamento do projeto.




Pelos jardins do Palácio do Catete, Branca de Neve, Malévola e Bela esperavam pelos estudantes do INSP Júnior para contar um pouco de seus contos para os pequenos leitores. De acordo com a coordenadora do segmento, Andreia Campos, a integração do PLINSP com o tema pedagógico de 2018 "Rio, quero te ver sorrindo" acontece já no ato de inserir personagens conhecidos em ambientes tipicamente cariocas, que fazem parte do dia-a-dia dos estudantes.


"O incentivo à leitura é algo que acontece de maneira natural ao cotidiano do estudante. São obras conhecias, como contos e histórias de ficção com vocabulário cuja dificuldade é gradual, e evolui na medida em que os estudantes avançam de série.Trazer a literatura para um dos pontos turísticos da cidade foi uma maneira de mostrar que as histórias podem ser reinventadas com uma pitada de criatividade", completando, Andreia afirmou que o processo criativo compõe o ato da leitura, tendo em vista que a imaginação é importante para se colocar nos lugares descritos pelo autor.



E por falar em princesas, a Branca de Neve também passeou pelas salas de aula do INSP Kids e, após contar um pouco de sua história, a personagem distribuiu maçãs para os estudantes que, desde os primeiros passos tem contato com livros de histórias e, ao final do segmento, já são capazes de compreender algumas letras e fonemas do alfabeto. Como explica a coordenadora do segmento, Roberta Barão "esse lado lúdico dos contos de fada é algo que faz parte dos atrativos para as crianças e o que queremos é proporcionar a eles a experiência de serem bons leitores e capacitados a interpretar textos complexos ao chegarem no INSP Vest e se depararem com as provas de vestibular", afirma Roberta.


O PLINSP é aplicado ao longo do ano le